Se Deus escrevesse para as mães

Que o amor e a paz estejam convosco.

Em nossos instintos, atitudes e corações.

Quando fiz o homem, julguei que faltava algo que o completasse.

Criei então a mulher, para ser sua companheira fiel em todos os momentos.

Ao vê-los caminhando juntos, percebi que ainda poderia fazer mais.

Pensei numa maneira de traduzir tudo que fosse mais precioso.

O bem mais sincero e verdadeiro.

Que representasse a vida. A esperança. A luz. A fé.

Um laço não apenas de sangue, mas de corpo e alma.

Para ser respeitado na terra e eternizado no Céu.

Assim nasceram as mães. Assim vieram vocês.

Em cada uma, o dom de alegrar, trazer conforto e carinho.

Um refúgio em forma de abraço, zelos e conselhos.

Vocês são a própria existência da vida.

Sua ternura e capacidade de aceitar tudo, renunciar a tudo por seus filhos.

Cuidam deles, não importa quanto tempo passe, ou os rumos que tomem.

E quem poderá julgar?

Serão sempre crianças, aos seus olhos protetores.

Serão sempre os mais bonitos, os mais inteligentes, os mais especiais.

Serão sempre seus. SEUS. Não tentem lhe tomar.

Ah, o amor das mães!

De tudo o que fiz e criei, vocês são a tradução do MEU amor.

Obrigado por me representarem tão divinamente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s